Loading...
Prosas

A vida é justa no fim das contas…

Hoje vai chover. Depois de um longo tempo sem uma gotinha de chuva caída do céu. Hoje as nuvens vão desabar. Molhando a terra, a grama, dando uma certa paz e calma pra todos nós.
Detesto dias cinzas, mas esse, em particular ,se mostra um dia feio com muita alegria. A chuva que vai cair renovará esperanças, trará novas vidas, novas cores a uma terra sofrida. Essa chuva tão esperada e pouco prometida anuncia novos tempos, traz no ar cheiro de coisas boas. É a renovação de um ciclo.
No fim das contas a vida é justa. De uma forma ou de outra sempre nos ensina a valorizar o que não temos. A enxergar o outro lado da moeda e a aprender importantes lições.
A chuva… Lá vem ela. Vejo as nuvens se armarem, se encontrarem. Os sons do céu se aproximarem da terra e os clarões iluminarem tudo que está cinza.
Como posso eu ser egoísta e ficar triste diante de um espetáculo tão belo? Como podemos simplesmente associar dias cinzas a coisas ruins, se os dias cinzas são um fenômeno tão belo e, hoje em especial, trazem tanta paz pra nossa gente?
Chuva… Vem logo chuva… Molha essa terra, lava teus filhos, pufirica tuas almas…
A vida é justa sim… Dias de sol antecedem dias de chuva que antecedem dias de sol. É apenas mais um ciclo. Apenas mais um metáfora, apenas mais uma vez no fim das contas.
E pra que essa prosa não fique sem um causo lembro de todas as vezes que meu sol se escondeu, que o tempo fechou, que o dia nublou e que chorei. E agora dou risada, pulo de alegria e me pego sorrindo porque o dia esta cinza. Porque a chuva esta chegando e estou sentindo o cheiro da terra molhada, da grama agradecendo por essas gotas tão abençoadas.
A ameixeira balança, como se agradecesse o vento que sopra. a grama tão seca já parece se refestelar só com o barulho do trovão… Quem um dia disse que um dia cinza tem que ser triste?
O sol faz falta sim… Mas os dias nublados também. O calor tem seus atrativos. O frio suas seduções. Sempre dá pra ser feliz.
Avida é justa sim… No fim das contas!

————————————
Minha amiga Nathália usou essa frase ontem em uma conversa sobre um assunto nada haver com esse. Mas foi o suficiente pra me dar conta de como, ás vezes, não exergamos as coisas óbivias… Pense você também…
———————————–

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *