Loading...
Prosas

Teorias sobre o medo

Quem nunca sentiu medo na vida que atire a primeira pedra. Todo mundo sempre tem um medinho. Pode ser um bobo, aquele que deixa inseguro ou o que paraliza. Mas que todo mundo tem, isso tem e não existe o que discutir.
As vezes aquele que é bobinho para uma pessoa é o mosntro de outra e não significa nada para uma terceira. Como medo de andar de avião. Para mim ele é um frio na barriga. Tem gente que não anda de jeito nenhum e outras pessoas que adoram voar. Tudo depende das experiências e neuroses de cada um.
Quando pequena eu tinha medo de escuro. Não dormia de luz apagada de jeito nenhum. Me paralizava, eu entrava em pânico se faltasse luz. A maioria das crianças é assim. Depois passei a não gostar de ficar no escuro. Era uma bobagem. Apenas não gostava e hoje não ligo. O que me prova que com o amadurecimento vamos superando nossos medos.
Os medos nos desafiam. Algumas vezes somos capazes de superar e em outras não. Existem pessoas que passam a vida com medo do medo que sentem. Com medo que algo aconteça e mude sua vida estruturada. Ou simlesmente medo de tudo.
Tem medos até que são bons dependendo do momento. Aquele medo que se sente no cinema, vendo um filme de terror com o ficante, namorado, marido ou com o futuro namorado. O medo que faz a gente dar um pulo da cadeira do cinema e ganhar um aperto de mão, um abraço ou um beijo.
Conheci pessoas que tinham medo de decidir qualquer coisa. Até a roupa que iam usar. Se botavam calça ou saia e virava um dilema tão grande e complexo que alguém precisava ajudar na escolha. O que não garantia quer o medo passasse, pois a pessoa seguia com medo da decisão que havia tomado.
Os medos coletivos me assustam bastante. Por exemplo, e bem em voga, o medo da gripe suína. Cria-se uma neurose coletiva, um medo geral que chega a virar pânico. Qualquer um que der um espirro acaba correndo o risco de ser linxado em praça pública para não contaminar o resto da humanidade.
Medo é medo. E Só a psicológia para tentar persuadiar alguns seres e cérebros de seus medos. Não existe remédio e quando ele paraliza o corpo, faz o coração bater desesperadamente, o estomago embrulhar aí não tem jeito. Ou se encara ou se foge.
De todas as fobias quer se pode ter a que me acelera o coração é a de insetos. Baratas então me paralizam. E não dá nem para brincar que eu começo a chorar. Odeio baratas. Tenho pânico delas e confesso fujo da dona baratinha como se ela fosse um leão capaz de me devorar.
Tem pessoas que tem medo de relacionamentos. Pessoas com medo de apertar a mão de outro e pegar alguma doença. Alguns de atravessar a rua. Outros do escuro. Certos seres viventes tem medo de respirar e tem gente até com medo de gente. Sem falar nos medos de trovão, chuva, vento e as fobias a seres de outros planetas ou de espíritos, mortos, bichos, água e por aí vai. Medo é medo. Não se discute, se lamenta ou se supera.
———————————
E hoje parabéns para mim! Muitas felicidades, saúde, amor, sucesso e dim dim!!! Adoro fazer aniversário!!! Mesmo que tenha gente que ache que isso significa um ano a menos de vida… Ano que vem eu viro balzaquiana!

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *