Loading...
Prosas

Afinal, qual a verdadeira intenção do Enem?

Que a educação no Brasil é caótica todos já sabemos. Que são muitos analfabetos não é novidade para ninguém. Que o ensino público brasileiro é um verdadeiro circo de horrores já é piada ultrapassada. Que poucos tem acesso ao ensino superior é só mais uma estátistica desse quadro lamentável em que se enquadra toda uma questão cultural no país.
Aí veio o Enem com uma proposta de unificar o acesso as universidades públicas, garantir que mais pessoas tenham a oportunidade de cursar uma graduação e acabar com as longas maratonas de vestibulares realizados pelos estudantes. O Enem se desdobra em dois processos: O Prouni , sistema de bolsas integrais ou parciais em universidades particulares e o SiSU, sistema de seleção unificado para as faculdades públicas, onde todas as vagas estão a disposição dos estudantes.
O Enem já foi algo tumultuado.Primeiro roubaram a prova, surgiram teorias de que teria sido golpe de marketing do Ministério da Educação, outros diziam que foi só para adiar a prova. Enfim, o Enem acabou por ser adiado e realizado em dezembro.
Depois de dois meses saíram os resultados. Ninguém sabe bem como foi feita a correção e calculada as tais notas. Não existe onde a gente possa consultar ou reclamar da correção. É aceitar aquela nota e aceitar. Educação de qualidade 0 x Maracutaia brasileira 2.
Então,depois do resultado começa as incrições no SiSU. Nos primeiros dois dias impossível acessar o sistema. O Ministério da Educação só dizia que tudo estava funcionando normalmente e que não havia nenhum problema. Os estudantes, enlouquecidos, não conseguiam acessar de forma nenhuma. Respeito ao estudante 0 x Maracutaia brasileira 3.
O tal Sisu, dava a possibilidade das pessoas trocarem de curso e de instituição quando vezes achasse necessário, durante as inscrições, o que gerou um alvoroço total. As notas de corte, que não tem nada haver com as tradicionais dos vestibulares, subiam e desciam numa total desarmonia com a música que tocava.
Enfim, saiu o resultado da primeira etapa. Vieram os períodos de matriculas. Onde está os aprovados? Menos de 5% preencheram as vagas. Na segunda etapa, todos os não aprovados tentam novamente disputar uma das vagas que sobraram. Mas aí a grande surpresa… Todo mundo pode concorrer de novo. Aprovados, matriculados, reprovados, pessoas que passaram no Prouni… Todo mundo.
E para quem vem em ritmo de carnaval a festa rola solta no SiSU. Faça o que quiser. Pegue a vaga de alguém que realmente queira estudar. Num país que não dá valor para educação o povo é mal educado. Não tem consciência do que faz e muito menos do que quer. É bem típico de um governo onde o que reina são os ditados populares distorcidos, as piadas feitas em discursos e o tal descaso com um real crescimento. Num país onde existe bolsa família, vale gás e vale pica, quem vai saber o que é conquistar algo? No Brasil onde se esconde dinheiro em cuecas e meias, onde o mensalão é tão público que é o segundo salário de muita gente, onde ninguém é punido, só o ladrão de galinhas, para que haver regras no SiSU?
Se a intenção do Enem era dar mais oportunidades as pessoas de cursarem uma faculdade, essa passou longe. O que o Enem trouxe foi dúvidas, desgaste emocional e dificultou, e muito, o acesso dos estudantes a ter um diploma. Talvez, lá no fundo, a intenção do Enem é que todos no Brasil cheguem ao mesmo patamar de ignorância dos nossos governantes. Sem estudo mas nota dez em malandragem… Sabendo direitinho como sacanear o próximo e desenvolvendo o melhor do espírito de egoísmo do ser humano.
Enquanto isso, nesse exato momento, milhares de jovens tentam desesperadamente conseguir uma vaga, para realizar o seu sonho e poder melhorar sua condição de vida. Mas eu esqueci. Isso não interessa o governo… Quanto mais culto um povo mais difícil de manipular. E em ano de eleições o que vale é encher os olhos, dizendo que o sistema possibilita mais educação no país enquanto na verdade ninguém consegue sua vaga.

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *