Loading...
Últimos Posts
Prosas

Ao meu afilhado com amor…

Sabe Joaquim. Hoje a dinda passou o dia pensando em ti. Não que não pense todos os dias, mas hoje foi além da conta. Depois que te vi pela webcam com o tio Bruno, ai na casa da vovó Tânia, fiquei babando demais. Os beijinhos que tu mandavas pela camera deixaram meu rosto todo babado… E como é bom sentir teu beijinho molhado! Você está agora com quase dois aninhos ( daqui a dois meses e vinte dias será seu aniversário). Mas ainda me lembro de você chegando no Rio, estendendo os bracinhos e vindo para o meu colo.
Foi na minha casa que você fez sua primeira arte, sabia? Abriu a tampa de uma caneta marca texto e, enquanto a mamãe, a dinda e o dindo fofocavam você se pintou todinho de amarelo. Ficou parecendo um pintinho.
Todas as noites, antes da dinda dormir eu rezo por você. Para que sempre tenhas saúde. Para que cresças feliz e para que a dinda possa te ver mais. Infelizmente, devido as escolhas profissionais do dindo e do papai a gente não pode ficar pertinho. Mas isso não importa porque sempre estás no meu coração e logo, logo, tu vais crescer e poderás ficar mais com a dinda e o dindo.
Meu amor por ti foi a primeira notícia. Não foi a primeira vista porque muito antes de te ver, de ter a honra de ser tua madrinha eu já te amava. Meu amor por ti é sem explicação. É sem noção e sem pedir nada em troca.
Acho que essa história começou antes mesmo de você ser um projeto de gente. Claro que como sempre é tudo culpa do dindo e do papai. Essa então mais culpa do teu pai. O teu pai é um cara pra lá de maneiro. Tua vó então nem se fala. Eles abriram as portas da casa deles para receber um bando de meninos que nem conheciam. Com um único objetivo: ajudar. E aí tem um outro culpado. O tio Alemão ( ele é muito querido, engraçado e tem jeito com as mulheres mas não siga os exemplos dele nunca, ok?). Foi o tio Alemão que levou o dindo para a casa da vovó Tânia e foi assim que começou a nossa história.
A gente passou por muita coisa naquele ano. O quanto a gente chorou… A dinda, a vovó, a mamãe… E mesmo que eles nunca confessem o papai e o dindo também choraram bastante (pode chorar, viu? Isso não é coisa de mulhersinha, isso é coisa de gente que tem coração e sentimento). Mas também tiveram coisa muito boas nesse tempo. E uma delas foi todo esse povo ter se conhecido. Os quitutes da tia Luizinha… Hummm… Dá água na boca! Mas a melhor coisa do ano de 2007 foi a notícia da tua chegada!
Veio um novo ano. 2008. Esse foi de esperas. Espera os feriados. Espera o Joaquim nascer (já te contaram como o papai fez para chegar no hospital?). Espera o Joquim ir para o Rio. Espera os casamentos ( a dinda e o dindo depois o papai e a mamãe). Esperamos tudo e tudo aconteceu. E tudo foi para o seu lugar e cada um para a sua cidade.
Em dois mil nove foi finalmente o seu batizado. Um dia depois da tua festinha de um ano. A dinda já tava achando que tu ia ser pagãosinho para sempre ou que antes do teu casamento ia ter que te pegar no colo… Tirando o teu choro o resto deu tudo certo.
É Joka. Um dia você vai ter idade para entender. Um dia será você passando por todas essas etapas da vida. E pode ter certeza, que não interessa o lugar do planeta que a dinda vai estar um pedacinho do coração dela vai sempre estar contigo. Sempre lembrando daquele gurisinho fofo todo riscado de marca texto, daquele meninho mandando beijinho na web cam e do bebê mais chorão do dia do batizado!
Saiba sempre que, mesmo longe em quilômetros, em pensamentos estamos sempre juntos!

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *