Loading...
Prosas

Cartas – Aquela que um dia enviei…

Fulano,


Eu sempre tive vontade de dizer um monte de coisas mas nunca tive coragem. Parece que quanto mais o tempo passa, mais o destino nos afasta, mais a memória nos trai, mais eu te amo. E se é estranho para você ouvir isto é mais estranho para mim escrever. Escolhi caminhos, mudei estradas, abafei sentimentos e escrevi canções. Viajei por galáxias, planetas, mundos, países, estados e cidades, tentando de alguma forma esquecer. Mas para todos essse lugares tu me acompanhou. Foi em meu pensamento  e mesmo que ao meu lado esteja outro homem não consigo deixar de amar você. 

Engraçado de tudo é que quando estavamos juntos eu não te amava. Pelo menos achava que não. Talvez seja apenas uma obsessão. Ou quem sabe orgulho ferido. Talvez. Mas seria muito pouco para me fazer sonhar com você, desejar você e principalmente querer o teu bem. De uma forma poética não te quero para mim, simplesmente te amo e te quero feliz. Não  imagino minha vida contigo. Nem concebo a hípotese de ficarmos juntos, algum dia, novamente. Mas te amo. Sinto isso a cada dia, que o tempo se afasta mais do dia que fomos nós dois, mais forte. Não sofro. Não choro. Não imagino. Apenas amo. 


E eu tenho plena consciência que não existe recíproca. E sei que não represento nada além de um casinho complicado em tua vida. Talvez até eu seja uma maluca que queres afastar. Mas mesmo assim ainda te amo. Se isso não é amor eu não sei o que é. Engraçado que eu não sabia o que era ele quando estavamos juntos e foi você que me ensinou a praticar. O mundo deu tantas voltas, mudou tanto para nós dois. Aconteceram tantas coisas e quem sabe eu nem ame mais o seu você agora. Mas amo aquele você que de uma forma tão especial entrou na minha vida e ficou em meu peito para sempre. O amor não é isso? Então o que ele é?! 


Não questiono os pôrques. Aceito. Se era desse jeito que era para ser. Então que seja. Mas cansei de esconder que na verdade não te esqueci. Que o amor aumentou todo este tempo distante e que ele é algo belo e sutil. Que não me torna infeliz, por não estar contigo. Que me acalma a alma e me torna melhor por saber que tenho esta capacidade de amar sem precisar de qualquer coisa em troca. E eu que sempre achei que para amar era preciso ser amada, descobri pelas tuas mãos que não. 


Ainda és minha fonte de inspiração. Meu personagem imaginário mais real. Meu herói e mocinho.  Meu sorriso, minha emoção e meu sentimento. 


Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *