Loading...
Prosas

Escolho o amor

Repasso em minha memória minha trajetória. Penso em todos os momentos vividos e busco entender onde me encontro. Qual foi a parte da história que adormeci e não vi acontecer? Onde deixei de ser a personagem principal para virar coadjuvante? Não me lembro, não me recordo. Em algum momento entrei no piloto automático e esqueci de viver. De reagir. De lutar. Puxo pelas velhas lembranças e nada me vem a mente. Parece que vive em transe nos últimos tempos. No lugar das memórias existe um vazio gigante. No lugar das boas recordações um borrão em preto e branco que deturpa o seus significados. 

Não sei o que me despertou deste estado de coma induzido lúcido. Talvez as lágrimas sem significado ou os tapas recebidos. Talvez até tenha sido, aquele sonho não realizado.  Talvez apenas fosse o momento. Uma vez, alguém me falou que apenas 10% do que acontece com a gente é responsabilidade de outra pessoa. Os outros 90% é como nós reagimos a esse 10%. Eu não reagi da melhor forma. Me deixei levar, me deixei abater, nunca divide as culpas, os erros. Só as glórias. Me vi sozinha. Estava sozinha. Sozinha e rodeada de uma multidão vazia. E hoje? Hoje tento reagir. Me reerguer, mentalizar coisas boas e afastar os maus pensamentos. Hoje. 
Em meu novo universo não existe erro que não possa ser perdoado. Não existe lugar pra mágoa, pro rancor, pra vingança. Existe apenas o espaço para acreditar que o mundo da voltas, e um dia, outros estarão em meu lugar. E não porque desejo isso, mas porque a história é cíclica. Porque por mais que a gente se sinta derrotado “não existe mal que sempre dure e nem bem que nunca acabe”. Lembre-se 90% é como você reage. Se eu reagir com amor, o universo me devolverá amor. Se eu reagir com rancor o universo me devolverá rancor. Se eu reagir com inércia o universo me devolverá inércia. Então eu escolho reagir. Escolho reagir com amor, com alegria e com paz, porque a inércia eu já abandonei. E a mágoa e o rancor não fazem parte da minha história. 
Das pedras do caminho eu faço a escada. Das lágrimas que rolam eu limpo a alma. Dos sorrisos que eu encontro eu me alimento. Das palavras de consolo faço minha oração e vou vivendo. Pedindo sabedoria e humildade para seguir o meu caminho, cumprir as minhas missões e lutar as minhas guerras. Implorando por um lampejo de esperança e agradecendo pela dádiva de ter acordado pro mundo. 

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *