Loading...
Prosas

Eu procrastino, tu procrastinas, ele…

Pro.cras.ti.nar

verbo & transitivo direto e intransitivo
transferir para outro dia ou deixar para depois; adiar, delongar, postergar, protrair.
Eu não sei vocês, mas eu tenho o dom de procrastinar (ou seria maldição?). Uma prova disso é que poderia ter escrito esse texto (ou o texto que iria ser publicado na sexta) durante toda a semana. Mas em vez de fazer isso, deixei para a última hora e estou fazendo caindo de sono e de mau humor, porque mais uma vez, eu deixei para a última hora. 
O que mais me incomoda é que eu sou extremamente organizada. Eu planejo, faço lista de tarefas, organizo ideias, tenho calendários com tudo que deve ser feito, quando e como. Gosto de planejar, de organizar. Mas na hora de fazer eu vou enrolando, enrolando, enrolando até que está no último segundo do segundo tempo e vou lá e faço. E todo o planejamento? Toda a organização? Todo o tempo que eu teria para ter feito isso antes e que poderia ter deixado tudo melhor, mais perfeito e harmônico? Ai eu fico assim, me sentindo culpada e arrependida de não ter feito o que deveria fazer a tempo. 
E o pior é que eu não procrastino por que a tarefa é chata, porque eu não gosto de fazer isso,  porque não consigo fazer ou porque eu tenho algo mais importante e urgente para fazer. Eu só enrolo porque eu resolvo ler um livro (por sinal estou lendo um livro excelente “Por Lugares Incríveis”da Jennifer Niven,  Editora Seguinte que realmente é incrível e vale a pena), resolvo ver um filme, olhar um vídeo no facebook ou fazer qualquer outra coisa. E ai… Ai eu estresso. 
Estresso porque procrastinei mais uma vez mesmo jurando que não iria fazer isso essa semana. Sabe como aquela dieta que a gente sempre vai começar na segunda feira mas ai chega a segunda e ainda tem sorvete na geladeira e a gente resolve deixar para a outra segunda? É exatamente isso. É inconsciente. Vai além do que a gente pode racionalizar. Quando fez… Pá! Você já procrastinou novamente. 
E ai? Faz o que? Porque sei lá, penso que é como um vício. Quando me dou conta já estou repetindo mais uma vez e me deixando levar por qualquer mosquinha que passa na minha frente. Tive uma professora na terceira série que dizia isso. “Qualquer mosquito que passa te distrai”. E é verdade. Agora passei 15 minutos olhando para a televisão e esqueci o que estava fazendo.  E sabe o que é mais estranho? Minha cabeça fervilha de ideias! São tantas, tantas coisas para fazer, tantas histórias para escrever e no entanto eu procrastino mais uma vez. Ah, se eu tivesse como da minha imaginação tudo ir para o papel apenas com um piscar de olhos…
Enquanto isso, eu tento seguir me mantendo no foco, longe do vício. Tentando seguir nos objetivos e no que deve ser feito. Mas tem tantas coisas para serem vividas, tantos livros para serem lidos, tantas coisas para aprender. Como não desviar do caminho? Talvez os procrastinadores compulsivos como eu, precisem de um grupo de ajuda, tipo um Procrastinadores Compulsivos Anônimos. Descobrindo métodos para não perder o foco. Só de vez em quando, talvez. Afinal ninguém é de ferro…
——
Gostou? Então aproveita e adquira meu livro de contos e crônicas “Noites de Verão” aqui http://bit.ly/29WmmPu

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *