Loading...
Causos

Amor de Verão

Último dia de praia. O verão estava acabando.  O retorno para casa era inevitável. As aulas começariam, meus pais voltavam a trabalhar e a rotina que fazia com que o ano fosse enrolado e vagoroso iria retomar seu lugar em minha vida, me deixando mais uma vez, coberta pela sensação de vazio.

Só que esse ano o vazio seria maior. Alem da saudades da vida sem rotina, dos dias mais compridos e ensolarados, da brisa do mar e dos amigos da praia eu me consumia pensando que eu morreria sem ele.  Meu primeiro amor correspondido. Meu amor de verão.
Minha mãe passou as férias falando que era pra eu não me envolver muito. Que paixões de verão não subiam a serra e só serviam pra fazer a gente sofrer.  Mas se o preço a pagar por todos os dias felizes era o sofrimento eterno, eu pagaria.
Eu sabia que quando acabasse as férias, nosso namoro acabaria também. Eu morava em uma cidade e ele em outra. Eu estava indo para o primeiro ano do ensino médio e ele pra faculdade.  A gente teria outras experiências, outras histórias para viver e nada seria como nosso verão.  Ainda assim, eu queria me apegar a possibilidade de viver aquele amor a distancia e esperar os outros 10 meses do ano passar para reencontra-lo novamente.
Nos encontramos no final do dia, como em todos os outros dias do verão, desde que nos conhecemos, na pracinha. Tomamos um sorvete. Ficamos namorando, nos beijando e curtindo cada segundo que a gente podia. Ele quase não falou. Eu queria falar de todos os sonhos que tinha, mas me sentia uma menina boba, acreditando em contos de fadas.
Ele me levou até o portão de casa e me deu um último beijo. Mais demorado, mais carinhoso, mais doído. Uma lágrima insistiu eu saltar do meu olho. Filha única, sem pai, perdida na imensidão da minha tristeza e no vazio que aquele beijo já me provocava. Ele a amparou com um dedo carinhoso, sorrindo com um olhar triste. Não podíamos fazer promessas que não cumpriríamos. Um amor de verão. Com data para término, um promessa velada de um talvez no próximo ano e a certeza de que a vida continuaria apesar de tudo.  Eu entrei pelo portão, e fiquei observando ele se afastando. Cabeça baixa, mãos no bolso da bermuda, andar lento. Estava petrificada olhando a distância cada vez maior que seu corpo tomava do meu. Ele se virou, nossos olhos se cruzaram. Um beijo foi jogado ao ar, um sorriso iluminou a noite e eu soube, que nada faria ele deixar de ser o meu primeiro amor.

————

O blog Causos & Prosas participa do desafio literário  365 dias de escrita. Este texto é parte integrante do desafio organizado  pela Editora Digital e Consultoria de Marketing para autores Escritor Publicado.
—————

Gostou? Confere então o meu último livro disponível com exclusividade na Amazon “Sexo Virtual, Amor Real” . E aproveita e conhece minhas outras publicações na nossa Livraria.

Você também pode gostar...

28 comments
  1. Amanda

    Oi Luísa, tudo bem?
    Adorei o seu texto. Nunca tive um amor de verão, sempre fui uma menina extremamente tímida e além disso, minha família não costuma viajar. Deve ser péssimo esse sentimento de conhecer alguém incrível e saber que nunca mais irão se encontrar depois, eu definitivamente ficaria super arrasada! Mas o primeiro amor sempre é marcante, né? Nunca esquecemos.

    Beijos! ♥

  2. Manoel Alves

    Olá
    O ano começa e os desafios começam a reinar noindo literário rwrs. Eu ainda não estava por dentro desse, creio eu. Achei bem bacana o seu texto, você conseguiu me ligar a história até o fim rwrs. Parabenizo você pelo belo trabalho e que continue com esse belo o projeto. Até mais ver
    Bjks

  3. Diane

    Oie…
    Que texto liiiiindo! E o melhor, bem comum e real para essa época do ano, né? Afinal, quem nunca se aventurou num amor de verão?
    Amei o texto! Parabéns, você leva jeito com as palavras;)

  4. Ju

    Achei o texto muito bem escrito, só não consegui me identificar. Nunca entendi como as pessoas vivem amores de verão, rs, todos os relacionamentos que tive até hoje foram com pessoas que eu já conhecia a um certo tempo. Mas sei que sou exceção.

  5. Tony Ferr

    Olá!
    Nossa Luisa, que texto lindo. Sou escritor publicado além de blogueiro, e bastante critico em textos, mas lendo o seu pude sentir a leveza das suas palavras, e o cuidado em escolhe-las! Parabéns, continue assim. Também estou com um projeto de escrita, escrever todos os dias durante os 364 dias do ano! Até agora me mantenho firme e forte!
    Sucesso para você!

    Abraços

  6. Brooke S.

    Gente, seria pedir demais que você escrevesse um livro que contasse o resto da história? O que aconteceu com os dois, se eles se reencontraram? Se o amor permaneceu mesmo diante de todas as dificuldades? Porque eu definitivamente amei sua forma de escrita e preciso de um livro todo com essa história. E se você escrever um dia esse livro, por favor me avise que eu irei correndo comprar, certo? Me senti com o coração partido ao ver os dois seguindo caminhos separados depois de viver um amor tão bonito. Preciso de mais!!!!
    Um beijo
    http://www.brookebells.com

  7. Camila Coelho

    Oi, Tudo bem?
    Acho que vai parecer até meio clichê o que vou dizer aqui mas acho que todo mundo já teve um amor de verão ou um amor de férias incluindo eu afinal meu primeiro beijo foi em uma viagem. Enfim…
    Adorei seu texto.
    Bjs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *