Loading...
Causos

Histórias mal resolvidas

Eu nunca gostei dos pontos finais. Sempre preferi as possibilidades eternas das reticências. Coleciono histórias mal resolvidas e de vez em quando vasculho uma delas a procura de sinais. É mais fácil deixar as janelas abertas que as portas cerradas. É melhor acreditar que um dia, aquela história pode ter um ponto final, do que saber que não existe possibilidade de edição.

Eu escolho as vírgulas infinitas, os parênteses e  transformo tudo em  uma grande oração. Para que é necessário colocar um ponto final? Talvez uma exclamação ou interrogação, mas jamais um ponto que acabe com tudo que um dia existiu. Não é o final da história, é apenas uma pausa nela.

Os pontos finais ficam para a morte. Ai sim, não existe mais chance de mudar o roteiro. Antes disso, tudo é possível. Três pontinhos que me permitem sonhar. Imaginar, pensar que um dia, aquela história que foi tão bonita, ainda pode ter um viveram felizes para sempre…, com reticências, por favor.

A eternidade não permite pontos finais. Só permite, que a gente, eu e você, resolva o que ficou para trás. Eu tenho medo das coisas não ditas ao mesmo tempo que idolatro tudo que poderia ter sido. Não é um jogo, é a vida. Se a história está mal resolvida, um dia pode se resolver. Afinal, não é a esperança a última que abandona o barco? Não é ela que mantem de pé toda a humanidade?

A esperança das reticências me move. E mesmo que impulsos me levem a dizer o que não foi falado, a ouvir o que não foi dito, a esperar pelo impossível, ainda assim prefiro a dúvida. Se tudo fosse certo como 2 e 2 são 4, não existiria nada além da química. E todas as outras possibilidades se terminariam ali. No ponto final.

Das coisas que eu também não entendo essa ausência presente ou essa presença ausente é a que mais me alimenta. Me aquece a alma as oportunidades. Longe e perto. Perto e longe. Do mesmo lado ou de lados opostos, tanto faz. Você ainda está e sempre estará, enquanto não falarmos o que faltou, enquanto deixarmos sem final.

Então deixa essa história assim… Mal resolvida do jeito que ficou, com as pontas soltas e  três pontinhos no final. Pode ser que seja apenas uma pausa. Quem vai saber? Existem roteiros infinitos que podem ser utilizados. Vai depender de mim, de você, de nós, da vida…

 ————
Uma mulher que só pensa em casar, uma pessoa que se sente marciana, encontros, desencontros e reencontros de amor,  um homem que se sente atraído por uma mulher, uma mulher que se apaixona novamente pelo colega de escola, alguém que é traído, alguém que está apaixonado e alguém que sente uma saudade infinita. 
Sentimentos, palavras, alucinações , sonhos e vontades. Medos, loucuras, desejos,  poesia, prosa, causos, lágrimas e amor.
 Conheça Noites de Verão, coletânea de contos e crônicas,  na livraria do blog!

Você também pode gostar...

25 comments
  1. Kelly senna

    Adorei o texto, você expressou bem o que sentimos quando não queremos que algo acabe, na verdade, nunca queremos colocar um ponto final em nossas histórias, mas eu não recomendaria deixa algo mal resolvido, podemos resolver e fazer novas histórias no meio de uma que não deu muito certo.
    Beijinhos ❤️
    Deus abençoe seu blog ❤️

  2. Daniele Vieira

    Olá
    Também sou dessas que prefere as reticências, mas acho que as vezes um ponto final seria melhor, algumas pessoas/coisas são tóxicas e só sugam nossa energia, mas eu simplesmente não consigo fechar a porta.

  3. Helana Ohara

    Me identifiquei com suas palavras.
    Tenho uma única história mal resolvida e deixei a janela aberta, acredito que se é para termina-la ou para seguir em frente, isso volta sabe?
    É a vida é assim cheia de voltas, sabe o dia de amanhã é confuso, Porém as surpresas que nos aguardam são sempre bem interessantes e todos os dias tem uma.
    Beijinhos, Helana ♥
    In The Sky, Blog / Facebook In The Sky

  4. Roberto Camilotti

    Quanta poesia eu li nesse texto confessional! Demais, gostei muito!

    Adorei também a frase que você destacou p/ ilustrar a postagem. Show, Luisa; foi o melhor texto que eu li hoje!

    Histórias mal resolvidas são sempre um convite a ficarmos presos no passado, sempre o contrário da coragem.

  5. Morgana Brunner

    Amei o texto querida, parece realmente nos emocionar e até nos fazer refletir sobre certos atos, as vezes deixar algo quieto é melhor do que se envolver profundamente.
    Beijinhos

  6. Carla

    Oie!
    Também prefiro assim, sem algo definitivo, assim temos a chance de modificar. Adorei o seu texto, daqueles que nos fazem refletir.
    E assim como você, prefiro os três pontinhos, do que o ponto final.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

  7. Death Life

    Olá, tudo bem?
    Ain, você também escreve! *0* Poxa escreve muito bem por sinal! Também acredito que não exista pontos finais e sim reticências que todo mundo coleciona ao longo da vida, assim criando uma história incompleta e inacabada. Adorei o jeito como você escreve!

  8. Leticia Golz

    “É mais fácil deixar as janelas abertas que as portas cerradas.” Adorei!! Também gosto das reticências.
    Mas também depende muito, às vezes o ponto final é melhor.

    Livros, vamos devorá-los

  9. Niina

    Oii
    Belo texto, muito gostoso de ler.
    As reticências também me agradam muito mais do que o ponto final. Com elas temos infinitas possibilidades para continuar a construir uma história.

  10. Mila Cris VthSotis

    É assim mesmo que deve ser e ainda assim acredito que na morte ainda teremos companhias além túmulo. Nem assim estaremos sozinhos, estaremos sempre unidos numa rede de comunicação espiritual, seja como for e de onde for. Gostei do seu blog!Bjs

  11. Beta Oliveira

    Discordo um pouco. Em alguns momentos, as reticências apenas alimentam algo que não que não tem mais futuro ou que não nos faz tão bem. A sabedoria está em conseguir separar joio do trigo para entender o que ainda vale prolongar e o que pode ser definitivamente encerrado. Mas isso a gente aprende acertando, errando e arriscando, né? Abraços!

  12. NIZETE RIBEIRO

    O Fim é tão triste. Reticencias nos possibilita o recomeço, o acerto, o “quem sabe mais alguma coisa”. Maaaaas, às vezes o ponto final se faz necessário, para encerrar a dor, a angustia, a mágoa. Daí você me pergunta. e o acerto? E eu respondo: Nem sempre se faz necessário, apagar o passado e recomeçar do zero também é uma boa solução.
    Adorei o texto. parabéns!
    Nizete
    Cia do Leitor

  13. Gaby Marques

    Oiee, tudo bem? Belíssimo texto, adorei! Amo essas reflexões que traz pra gente. Eu já tive o prazer e desprazer de retomar histórias que tiveram três pontinhos; algumas terminaram bem, com um ponto definitivo, já outras só me fizeram sofrer, e até hoje pergunto se realmente chegou ao fim. Existem muitas histórias mal resolvidas, cheias de desencontros e mal entendidos, e algumas merecem sim a chance de serem revividas, para quem sabe conseguir um final digno, sem reticências.

    Beijooos

  14. Joyce

    Ola lindona amei o texto, alguns fatos precisam de ponto final naquele momento, mas podemos recomeçar.
    Confesso que muito coisa há necessidade dos três pontinhos, é o momento de respirar, refletir sobre tudo e tentar seguir em frente e quem sabe o destino trabalha a nosso favor. beijos

  15. Kamila Villarreal

    Olá!

    Será mesmo que o “para sempre sempre acaba”? não tem como não ler um de seus textos e sair com a mente cheia de questionamentos. Obrigada pelas lindas palavras que você sempre compartilha conosco.

  16. Livros&Tal

    Oie!!
    Nossa que crônica linda!!
    Eu concordo plenamente com o que ela diz… nada é finito… na vida não há jeito apenas para a morte… sempre podemos resolver as coisas. É aquela longa história de que o mundo gira… eu mesma ja voltei a falar e a amar pessoas que eu jurava que nunca mais queria perto… que acabou daquele jeito a nossa história e foi o fim certo.

    O texto serviu direitinho pra mim…

    beijos

  17. Jordana S Carneiro

    Oi Luisa,

    Ja eu, preciso de um ponto final pra poder seguir a vida. Detesto coisas mal resolvidas e pra mim nao existe esse negocio de possibilidade de volta… sei la, se nao deu certo é pq nao era pra ser. Preciso finalizar algo pra poder começar outra coisa. Mas gostei das suas palavras apesar de nao concordar totalmente. Belo texto! beijos

  18. Amanda Luizari

    Oi tudo bem
    que cronica bem escrita,
    Você disse tudo na nesta cronica, pois nada vida tudo se tem um jeito apenas para morte que não.
    pois podemos mudar de opinião com passar do tempo e voltar a falar com pessoas que achamos que nunca mais íamos olha na cara ,
    acho que todo mundo merece uma segunda chance, por isso antes de tomar uma decisão devemos tomar ela de ” cabeça fria” .
    em fim voce escreve muito bem e todos os textos seus que li ate agora trás algo para se pensar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *