Loading...
Últimos Posts
Causos

Última chance

Quando a saudades não cabe mais dentro do peito ela transborda pelos olhos. Não me lembro mais quando foi a última vez que falamos. Se foram palavras doces ou duras. Se sorrimos ou fizemos cara de mal. Se revirei os olhos para alguma piada boba ou se te encarei apaixonada.

Só lembro que você não está mais aqui. Em todos os dias da minha vida, quando qualquer besteira acontece eu quero correr para ti contar. Mas já não é mais permitido. Não é mais possível. As vezes esqueço a tua ausência e quando a recordo o peito dói forte. Uma dor que não tem cura, explicação ou saída.

E quando a falta é tão intensa, que não cabe mais só dentro da dor que sinto no peito, eu choro. Choro porque você me faz falta todos os dias. Em todas as horas. A cada segundo. Choro porque eu queria, só mais um minuto, um dia, uma vida pra dizer o quanto te amo.

Eu sei que essa dor nunca vai passar. Que a saudade de tempos em tempos vai apertar. Que em noites de chuva em vou lembrar. E em dias de sol eu vou recordar. Eu sei. Sei que mesmo ausente você sempre está presente. Que enxuga cada lágrima do meu rosto com seu sorriso maroto. Mesmo que eu não veja, eu sinto.

Mas tua presença ausente, não me faz companhia. Não me aquece nas noites frias, não me embala nas horas de medo e nem me acalenta na saudade. Tua ausência presente me deixa com saudades. Teus sussurros que não ouço ecoam pelos meus ouvidos, me lembrando que a tua voz rouca nunca mais vai me despertar em domingos preguiçosos.

Eu sinto falta de ti. Mesmo que outros estejam aqui. Eu divido meus sonhos com quem não entende. Me aventuro por rumos que eu não tenho fé e no final das contas é no teu retrato que eu termino o dia. Com um beijo de boa noite singelo, que diz mais sobre a minha solidão do que eu queria dizer.

Eu só queria uma chance de me despedir. E se eu tivesse eu iria com você. Por toda a eternidade. Porque nada nessa vida vale a pena sem teu sorriso, sem teus braços me apertando, me jogando pro alto e me fazendo cocegas. Nada nesse mundo tem sentindo sem teu olhar me acalmando, sem tuas mãos me abalando, sem teu amor me tocando.

Eu só queria uma última chance de te sorrir. De te ouvir, de falar o quanto te amo e ouvir, daquele jeito meio bobo, que você me ama mais. Uma última chance  de saber, que independente do que a vida decidiu, um dia ainda existirá eu e você.

 ————

Sabemos que a batalha contra o preconceito é árdua e que alguns textos podem te chocar ou mesmo fazer com que você se identifique. Tudo bem se isso acontecer. Não se preocupe! Isso não significa que você seja uma pessoa ruim. Significa apenas que você, assim como tantos outros, precisa mudar.

 Conheça Isso também é preconceito!, antologia de contos,  na livraria do blog!

Você também pode gostar...

27 comments
  1. Daniel Igor

    Bom dia, Luísa!
    Nossa, que belo e tocante texto. Consegui sentir na pele o sofrimento vivido pela narradora.
    É sempre triste quando perdemos alguém que amamos tanto.
    Parabéns pelas palavras bem dispostas.
    Abraços.

  2. Shayanne

    Enfim, que lindo, que talento. O texto por completo é lindo, por completo é emocionante e consegue tocar a alma de tal maneira que nenhuma palavra consegue descrever, apenas conseguimos sentir. “Eu sei. Sei que mesmo ausente você sempre está presente.” Este trecho representa muito oque muitas pessoas querem disser, mas não conseguem.

  3. Morgana Brunner

    Oiii Luiza tudo bem?
    Eu fiquei apaixonada pelo seu texto menina, com toda certeza você tem razão, tem coisas que não sarão mais e outras sim, é sempre bom tentarmos algo de novo.
    Beijinhos

  4. Paula Sesterheim

    Oii, tudo bem?
    Aaah que texto lindo! Saudade é uma coisa tão ruim, realmente tem coisas que ficam marcadas na nossa vida de uma maneira profunda. Adoro a maneira como vc escreve, nos atingindo na alma com suas palavras.
    Parabéns.
    Beijos.

  5. Renata

    Ai Luisa seus textos são sempre maravilhosos né. Nossa dá um aperto no peito, parece que quem está narrando o testo sou eu mesma de tão fundo que ele me toca.
    Maravilhoso, beijuh

  6. Lucimar da Silva Moreira

    O texto é simplesmente emocionante, o livro é comovente do início ao fim, a saudade muitas vezes nos faz chorar. ela aperta o coração principalmente para aqueles que amam. Saudade é uma ferida que as vezes ela está lá dormindo mas que de repente ela começa a arder. Lindo o texto, parabéns pela escrita, bjs.

  7. stheffany Farias

    Olaa tudo bom?! Nossa que texto mais lindo!!! Serio tocou meu coração lembrou muito a minha falecida avó kkk serio mesmo, parabéns pelo texto ficou muito bem escrito!!!

    -Beijoss

  8. Daniele Vieira

    Olá
    Ficou muito bonito e bem triste o conto, ainda não tive a experiência de perder alguém muito próximo de maneira irrevogável, mas algumas vezes tento pensar a respeito, mas é algo que me deixa tão triste que prefiro nem pensar.

  9. Carla

    Oie!
    Saudades não é fácil. De todas as pessoas amadas, sempre ficamos com aquele coração apertado.
    Eu adorei esse texto! Nossa, como é emocionante, fiquei bem reflexiva depois do que escreveu.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

  10. Jalysson Waldorf

    Muito lindo seu texto.
    Mais uma vez sou obrigado a te venerar, mulher. Arrasa demais na escrita e sabe como instigar a leitura através de um simples sentimento. Adoro ler coisas do tipo, e tu tem um diferencial. A sinceridade que completa o meu pensamento.

  11. Ana Caroline

    Olá, tudo bem? Que texto mais lindo e recordativo, afinal quem nunca passou por uma perda? por um último adeus? Bateu um aperto forte aqui, mas os momentos bons ficam. Já falei que amo a sua escrita <3
    Adorei mesmo!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

  12. Alice Martins

    Oi Luiza, tudo bem?

    Talvez eu esteja chorando? Talvez! Seu texto está muito bem escrito e cheio de emoção, foi quase impossível lê-lo e não manter uma única pessoa na mente, passeando na minha vida e nos meus pensamentos. Mas, lembro de cada palavra dita, as últimas para ser sincera, foram fortes, dolorosas. Amei seu texto, Parabéns, continue sempre assim!

    Beijos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *